As três peculiaridades de um projeto de portal


Muitas empresas ainda contratam projetos de portal como se fossem projetos de tecnologia. Mas eles são mais que isso (feliz ou infelizmente… rs…). Aqui vão as três principais diferenças de um projeto desta natureza em relação a projetos “puro sangue” de implantação de sistemas:

1 – PROJETO QUE NÃO É PROJETO…

Para começar, qualquer pessoa sabe que “projeto” é algo que tem começo-meio-e-fim. Mas portais, por definição, não têm fim – requerem manutenção constante, tornam-se elementos orgânicos, crescem com a companhia. Logo, falar em “projeto de portal” só é admissível se imaginarmos que se trata de uma reformulação ou da criação de um novo ambiente – mas nunca devemos nos deixar enganar pela idéia de que “acaba quando termina”. Na verdade, a brincadeira começa mesmo quando termina (o projeto)…

2 – UMA ANDORINHA SÓ NÃO FAZ PORTAL

Outra grande diferença: a necessidade de uma efetiva abordagem colaborativa. Não existe isso de “implanta esse portal aí para mim e me entrega quando estiver pronto”. Só vai estar pronto se você, cliente, trabalhar junto, de forma efetiva, desde o primeiro dia de projeto. Se houver comprometimento. E se o trabalho envolver um time multi-áreas (no mínimo TI e Comunicação têm que estar no barco, formando o núcleo básico da governança estratégica que dará sustentabilidade ao ambiente).

3 – SUSTENTABILIDADE É O NOME DO JOGO

Ora, se ele é um projeto que não termina e se depende de uma atuação multi-áreas, então não vai parar em pé se não existirem preocupações e atividades voltadas para construir as bases estruturais de longo prazo (leia-se: governança, gestão de conteúdo, arquitetura da informação e arquitetura da participação). Sem isso, poderemos até ter um projeto de sucesso (concluído no prazo, atendendo as primeiras demandas das áreas, bonitinho…), mas dificilmente teremos um portal de sucesso, que agregue crescente valor, evoluindo de forma estruturada e alinhada à estratégia da empresa (que se sustente ao longo do tempo, portanto).

Em outras palavras: sem foco nas estruturas de sustentabilidade, todo o esforço de projeto caduca e você volta a ter um mico nas mãos em alguns meses…

Sem ter estas três lições em mente, vai por mim, o risco de não obter sucesso é grande – vejo isso todo dia… ;o)

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s